compartilhe

O Cerco de inverno

Gélidos eram as paredes que cobriam o castelo, talvez o toque quente de minha mão derretesse tudo ou congelasse ate o meu último ser.
Não fiquei pra descobrir a resposta.

A Manhã pairava, raios que cruzavam pedaços de gelo em forma de estaca que se formaram de noite nos telhados são iluminados como um prisma.

Esperava um preságio de um bom dia.
Mas tive apenas equívocos.
Apenas o balançar negativo dos galhos das árvores mais altas.

Isso parecia ser a rebelião que foi me concedida, no vale da Raposa.
Onde a neve é mais funda que o poço dos infiéis e traidores.

Trilhas de animais espalhadas pela floresta, pareciam correr para todos os lados, o cotidiano parecia mais um sentimento que um instinto.

Não é como se exércitos nunca tivessem marchado por essas terras.
Mas também não é como se agora tudo não fosse coberto e escondido debaixo da neve.

Como o bom deprimente som de violino que não sai dos meus ouvidos, a neve apenas assovia a canção.
Meus ouvidos sangram, em partitura a sua ilusão.

Não era neve, era apenas redenção.
Se as janelas não fossem tão altas, eu diria que refletiriam o seu dono por direito.
Conquista.

O Piso de madeira rangiam..
Como dentes de um velho..
Como velhos dentes…

As escadarias pairaram sobre o tempo.. desgastadas..
Consumidas pelas chamas da vingança.

O Preto pondera sua cor, relativo a sua concepção.
O Nascimento.

Quebradiça e frágil eu diria, feita do mais puro amargo.
Como todo castelo rígido tem que ser.

Paredes altas e inquebráveis, janelas com pouca luz.
Velas e Candelabros.

A Toca perfeita de uma raposa em desolação.

Eu diria a todos que hoje haveria uma festa, se ela já não fosse tão macabra.
Não lhe daria o prazer de contemplar a solidão, no seu espirito mais terno.

Só uma ilusão.

A Criação foi pintada em sangue, dizia Alfredo.
Que quando rosnavam os cães..

Loucura.

compartilhe

Eu não tenho mais nada a dizer.

compartilhe

Eu sou o Problema, mas Eu também sou a solução. SUICIDE

Heroína é um prato que comeria quente e delicioso.
Correndo em minhas veias.

Acho que estou sobrecarregado de problemas do cotidiano moderno.
Acho que como nunca fui o melhor pra conseguir viver do jeito que tinha que ser.
Esse jeito sempre vai parecer o mais errado.

Por mais errado que seja os caminhos que tenho pegado ultimamente.
Já foi destruído tudo o que eu acreditava sobre relacionamentos e confiança.
Como uma boa criança traumatizada, eu cresci e as coisas foram piorando.
Realmente, não teve um bom retorno.

Posso me culpar disso também? Devo não é mesmo?
Exatamente por nunca trair minhas convicções, que tudo se perde da forma mais dolorosa.
Uma ferida eternamente aberta, remendada com drogas e cigarros.

Me sinto tão bem, não é mesmo? Tão bem..

Acho que a melhor parte é que sempre soube encarar meus problemas do jeito certo, como o bom garoto problemático que sou.
Sou um garoto doente, de uma das piores doenças que posso dizer, se não é que estou exagerando só por ter ela.

Mas a Depressão é a forca da Humanidade.
Meus 18 anos caíram em cima de mim com todas as promessas de responsabilidade e fardos que um semi-adulto poderia ter.

Obrigado família por me pressionar todo santo dia,
Isso inclui muito você mãe, que praticamente é a minha única família.

O Problema é que, por mais que eu fale que isso ta me matando, eu não consigo dizer uma palavra, apenas deixar que tudo caía em cima de mim.

Isso é ser tão fraco?

Acredito que meu suicídio seja a garantia de maior coragem que alguém pode ter.
Já pensou em tirar sua própria vida? Já viu o quão louco é isso?

A Minha dúvida é em perceber que talvez isso tudo seja o desespero de um garoto mimado que não sabe perder?

E Olha que já perdi tanto.
Aos poucos agora, apenas perco o meu sono.
Minha sanidade.
Minha vontade de viver.
Minha vontade de aproveitar.

Chamaria de, qualidade de vida.
Me falta muito isso.

Sinto uma facada pela traição de um antigo amor,
Como isso dói, é de um jeito insuportável. Descrevo desse jeito mesmo.
Insuportável.

Sabe, quando eu digo que você não entende, você realmente não entende.
Vem me perguntar o porque, vou te falar.

compartilhe

Eu só preciso de uma única bala.

compartilhe

Um pouco de brancas asas?

Somos filhos de sombras,
Cavaleiros sem espadas.
Escudos com brasões desbotados,
Sonhos ludibriados.
Se sete é o sinal do meu azar, sou cristo pra ser crucificado novamente.

Me sangre como a carne pecadora que sou,
e deixe os anjos caírem a sua morte.

Me toque com seus belos lábios e diga novamente o quão negro minhas asas são.
Me abrace em ternura e me veja queimar.

Sou o andarilho passivo de destruição,
Sou a sua confusão,
O Seu desiquilíbrio.

O Seu único erro,
Um irmão a temer,
Um mentor a aprender,
Seu filho a aprender a viver.

Sou tão árdua quanto a mais sangrenta guerra.
Somos apenas escravos de nossos sentimentos.

Existe uma resposta no final desse labirinto,
Gritaria uma saída, aquele sete demônios que me aprisionaram?

São sete malditas esperanças.
E Eu queimo em azul.

Se na minha vida passada fui um demônio.
Nessa pago meus pecados.

compartilhe

Medo é só uma ilusão

Quantas vezes você já sentiu Medo?
Incapaz de andar, paralisado?

Hoje, em minhas plenas faculdades mentais, me tornei o medo.
Meus olhos te olham com tanto ódio, e eu nem mesmo sei o seu nome.
Talvez eu queira apenas te dizer o quanto eu não me importo se você atirar direto na minha cara, mas eu vou ficar te encarando até você tirar a minha miséria.

Quantas vezes você ficou preso por causa do medo?
Quantas vezes você sentiu medo?

Se medo é a causa de nossas decepções.
Declaro agora guerra a todos aqueles que tem medo de me encarar.

compartilhe

A Minha forca é a minha carne

Hoje eu tentei me matar.
Literalmente, tentei acabar com o suspiro infeliz da minha vida.

Essa foi a minha forca, que se apertou fortemente e ríspida em meu pescoço.
Eu senti medo, medo da dor, medo do escuro, medo do que estava fazendo.

Não tive forças pra terminar o que eu comecei.
Apenas o silêncio da minha dor, que ecoa dentro de mim, mais fundo que qualquer fenda que possa existir no mundo material. 

Eu puxei o gatilho do meu suicídio, e agora é uma questão de tempo, até que eu seja totalmente curado, ou totalmente morto.

Isso não é algo que escolho, pelo menos não agora.
Isso é só algo que vai acontecer.

Uma hora ou outra.

compartilhe

Quero uma arma e um minuto de silêncio!

envolvendo-se